Buscar por:

Saúde e Segurança do Trabalho na Nova Economia

26/08/2020 - Segurança do Trabalho - por Thiago Avelino

É muito provável que você que está lendo este artigo, deve estar se perguntando o que é a Nova Economia e sobretudo, o que ela tem a ver com a Saúde e Segurança do Trabalho.

Pois bem, antes mesmo de falarmos sobre esse conceito bem atual e para ser mais objetivo, vamos usar alguns exemplos que com toda certeza você já utilizou, utiliza ou ainda vai utilizar e você já vai ficar por dentro do que estamos falando: 

  • Carona Compartilhada (Uber | Blá Blá Car | 99), 

  • Delivery de Comida ou produtos de Supermercado (iFood | James Delivery | Rappi), 

  • Bancos Digitais onde para se abrir uma conta não se faz mais necessário comparecer presencialmente a uma agência como (Banco Inter | PJ Bank | Nubank), 

  • Reservas de Hotéis como (Air BNB | Booking | Trivago) e 

  • Recrutamento como o mais famoso deles o Linkedin.

Embora se pareça muito comum atualmente, todas estas plataformas têm menos de 10 anos de operação e vem provocando um impacto cada vez maior no cotidiano das pessoas e  mudando radicalmente a relação entre clientes e fornecedores. E para que esta noção de Nova Economia ganhe conotação ainda mais realista, vou usar o meu próprio exemplo como Cofundador da empresa digital SafetyTec, somos criadores de Tecnologia para auxílio aos profissionais envolvidos com a esfera de SST e também utilizadores de todas estas tecnologias citadas acima em muitas atividades que realizamos.

Mas agora gostaríamos de fazer uma pergunta para você que se interessou em dialogar com a gente sobre este assunto. Você está preparado para a Nova Economia? Se sim, sejam bem vindos ao futuro, se não, ainda dá tempo, afinal antes tarde do que nunca, mas corra, pois perder o timing das mudanças pode fazer com que você fique para trás, além de comprometer seus negócios ou a sua carreira.

Para quem nasceu a partir do ano 2000, talvez pareça normal estudar a distância, mas para os nascidos anteriormente e que frequentavam escolas, cursos e até Universidades regulares e obrigatoriamente presenciais, o EAD ou Ensino A Distância, era apenas uma duvidosa ideia ainda em pesquisa e cuja implementação ganhava cada vez mais adeptos. 

Até que um dia, em meados de 2016, quando criamos a plataforma SafetyEAD, a esfera de Saúde e Segurança do Trabalho viveu de perto esta revolução e hoje somos sequer capazes de saber exatamente quantos profissionais, escolas, ou consultorias se utilizam deste recurso, uma vez que é um recurso disponível a qualquer interessado gratuitamente.

Mas o que nós ganhamos com a Chegada do EAD? Talvez você tenha esta resposta na ponta da língua caso resida em um grande centro urbano, mas se você reside no interior, você não somente sabe da resposta, mas sobretudo, foi muito beneficiado com cursos que pôde fazer e que sem essa possibilidade iriam exigir muito tempo, esforço e dinheiro.

E na esfera de Saúde e Segurança do Trabalho? Bom, é uma mão de duas vias, para quem é estudante, essa é a possibilidade de se conectar com alguns dos maiores personagens de SST do Mercado sem sair da sua casa, tendo acesso a conteúdos da mais alta qualidade. E ainda nem falamos nas Lives que viralizaram e que quando trazem conteúdo relevante são muito úteis.

E para você que é um Consultor, Professor, ou até mesmo Proprietário de uma Empresa de prestação de serviços de Engenharia de Segurança do Trabalho e se viu diante de um paradigma sobre cursos presenciais ou até torceu o nariz para os Cursos A Distância, precisamos deixar claro que essa é a oportunidade de conquistar clientes e, locais que transcendem as fronteiras da sua Cidade ou até mesmo Estado. Mesmo que ainda não represente o seu faturamento integral, o EAD permite explorar novas possibilidades de expandir seus negócios, diversificar seus serviços e se tornar ainda mais conhecido em lugares que sequer havia imaginado antes, além é claro, de ter um custo muito menor de operação. Já pensou que tem muito cliente procurando por serviços como os seus na Internet? Então reflita sobre isso e mãos à obra.

Após uma catástrofe seja ela natural, uma guerra ou até mesmo uma Pandemia como a da COVID-19, a humanidade historicamente sempre evoluiu. E na história da mesma humanidade, uma destas catástrofes a de Coronavírus, nunca foi tão globalmente noticiada e sobretudo, sentida pela população inclusive pelos trabalhadores. E qual a relação com as vendas? A primeira e mais evidente claro, é de que o isolamento das pessoas provocou uma queda nas vendas que para muitos empresários foi o triste fim dos seus empreendimentos. Mas, existe um reflexo da pandemia que provocou uma mudança da relação entre consumidores e fornecedores sobretudo em mercados tradicionais como o de comercialização de Serviços de Saúde e Segurança e de EPI’s.

Desde que fundamos a Plataforma BuscaEPI.com, cujo propósito é o de conectar compradores e fornecedores de EPI, quantas vezes nós ouvimos que vender EPI é algo que se faz presencialmente, “Face To Face”, “Door To Door” ou tomando o velho e bom cafezinho. E quem pensa assim está certo, pois a Nova Economia não tem o propósito de extinguir os processos tradicionais de vendas, mas de reinventá-los. 

Se tem algo que podemos afirmar é que com a pandemia , as mudanças que já vinham acontecendo estão se consolidando e de uma maneira muito mais rápida,como por exemplo com as vendas de EPI por meio de plataformas de e-commerce e Marketplace, as plataformas de Compliance. Com a chegada da Pandemia, muitos prestadores de serviços e comerciantes de EPI se viram impedidos de abrir seu comércio, de visitar os seus clientes e ainda de prospectar novos. Em um primeiro momento a desorientação atingiu muitas pessoas e empresas, mas depois uma reflexão pensando no coletivo e que teve o seu auge no momento em que algumas cidades flexibilizaram as atividades profissionais trazendo resultados não esperados, a consequência foi que muitos trabalhadores - principalmente os que exercem atividades administrativas - não voltaram para empresas e não podiam ser mais contactados.

E apesar do período difícil, foi também um momento de crescimento para o mercado de SST, pois a Proteção do Trabalhador nunca foi pauta de tantos artigos, reportagens e até de estudos em todo o Mundo. Isso muda de maneira perceptível o comportamento de Trabalhadores que estão muito mais inteirados sobre os riscos que correm e os EPI’s que usam, os Empregadores que entendem cada vez melhor a importância do investimento na proteção dos profissionais e não poderíamos nos esquecer dos compradores que por limitações já citadas, procuram por fornecedores confiáveis, mas que sobretudo, estejam preparados para atender a demandas que atualmente são geradas cada vez mais em ferramentas digitais. Você até pode achar que não, mas o seu cliente está te procurando na Internet, e não somente por conta da Pandemia, mas porque o consumidor está passando por uma profunda transformação, se prepare para atender as demandas, necessidades e desejos do mesmo.    

O Chamado “Novo Normal”, tem mudado também alguns hábitos dentro das organizações, mas não se engane, estas mudanças não tem relação somente com a Pandemia de COVID-19 e com toda certeza também não são passageiras, pois já vinham acontecendo visto que a sobrevivência das empresas depende das mudanças que elas estão dispostas a absorver.

Para que possamos ser mais realistas, vamos sugerir que você se prenda ao seguinte fato: Grandes empresas estão em uma busca constante pela eficiência em seus processos, e eficiência naturalmente tem uma correlação direta com reduzir custo que por sua vez tem como consequência aumento do lucro. Sabendo disso, precisamos ter em mente que a eficiência exige profissionais capacitados, infraestrutura e sobretudo, ferramentas que lhes permitam alcançar esta tão desejada eficiência. Neste momento entram empresas tradicionais de tecnologia e as também em evidência as conhecidas Startups.

E como? vamos exemplificar da maneira mais simplificada. Pense que um processo de compras de EPI’s Equipamentos de Proteção Individual os compradores enfrentam os seguintes tipos de problemas: 

  • Conhecer minimamente o produto que está comprando, 

  • cotar com diversos fornecedores, 

  • receber produtos com atraso, 

  • receber produtos por engano, 

  • contratempos na hora dos pagamentos.
     

Agora reflita sobre como todos estes fatores, mesmo que individualmente, podem tornar um processo ineficiente. Viu só? É exatamente neste momento em que empresas que usam processos digitais tanto para compra quanto para vendas, tem um ganho enorme na eficiência e se engana quem pensa que para melhorar estes processos, é necessário passar por uma transformação digital demorada ou cara, pois o mercado já disponibiliza diversas delas com custo acessível ou até mesmo de maneira gratuita. Dessa forma, é possível tornar sua revenda de EPI, Clínica de medicina Ocupacional ou até sua prestação de serviços como autônomo, muito mais competitivo através de plataformas de cotação, Sistemas de pagamento, Parceiros logísticos, APP’s de comunicação instantânea e tantos outros.

E para encerrar podemos afirmar que, não estar atento para os detalhes do que o seu cliente busca e o que o mercado está tentando lhe dizer todos os dias, significa perder a corrida não somente para o seu concorrente, mas para você mesmo.   
 

Se não me falha a memória, minha última entrevista antes de empreender, foi em 2015 e já se vão 5 anos do momento em que escrevemos este artigo. Naquela época já utilizava de maneira periódica algumas ferramentas de recrutamento e seleção como o Vagas.com, Catho e principalmente o Linkedin. 

O que temos notado é que nos últimos meses a utilização desta última plataforma tem sido cada vez mais frequente tanto por recrutadores quanto por recrutados, inclusive na SafetyTec temos tido muito sucesso na contratação de equipe. Os motivos, é claro, são mais evidentes que nunca.

Os novos tempos nos obrigaram a permanecer em nossas residências, e em alguns casos, as empresas já declararam aos seus colaboradores que não precisam estar presentes para tocar as operações, estarão autorizados a continuar Home Office. Desta forma, os recrutadores e recrutados também vão surfar esta onda. Mas para você que é um profissional Técnico, Tecnólogo, Engenheiro, Enfermeiro ou até Médico do Trabalho, o que a nova economia trouxe de novo? 

Partimos do princípio de que o empresas com Mindset ligado a nova economia, estão em busca de profissionais com o mesmo perfil, um alinhamento de expectativas. Desta forma, o profissional que busca boas oportunidades no mercado ou até mesmo ascensão na organização em que se encontra, deve estar ligado minimamente em suas entregas. Se ficou com dúvidas, vamos ilustrar brevemente o que poderiam ser as entregas para um profissional de Saúde e Segurança.

Entenda-se em um SESMT ou até mesmo se for o único profissional de SST na empresa e seja o responsável por gerenciar os gastos do seu setor. Atualmente você somente contrata a prestação de serviços ou já pensou em criar um critério de seleção dos seus fornecedores, qualificando quais melhor possam atender e mapeando os custos ao longo de um período criando indicadores, pois desta forma será possível entender quais os prestadores mais qualificados, qual o custo, quais são as intercorrências que fazem o seu setor e a sua empresa perderem eficiência e por consequência dinheiro. E isso se aplica também aos fornecedores de produtos como EPI.

Já lhe ocorreu por exemplo promover uma análise detalhada do impacto que incidentes, acidentes e doenças relacionadas ao trabalho podem provocar nos balanços financeiros da empresa? “Recomendamos a leitura - “O Poder do Hábito” -  agora se imagine criando indicadores de Trabalho Seguro X Produtividade, protocolos de escolha de fornecedores mais responsáveis e confiáveis, e após organizar o seus números e indicadores apresentá-los a sua diretoria. Quase que a totalidade dos gestores ficaria altamente satisfeita ao saber que naquele depto existe um profissional preocupado com muito mais do que simplesmente auxiliar no cumprimento da legislação, mas que estabeleceu uma relação confiável entre SESMT | EMPRESA | PRESTADORES. 

E porque não citar as Soft Skill’s? Elas são habilidades reconhecidamente importantes em profissionais de qualquer esfera como pró-atividade, organização e equilíbrio emocional. E é exatamente isso que grandes organizações buscam nos profissionais mais bem sucedidos no mercado. Aquela velha máxima de que “foi contratado por indicação” certamente existe e nunca foi tão válida, pois além das Hard Skill’s, recrutadores estão interessados em saber como a sua passagem pela empresa anterior foi favorável para ambos e qual a opinião dos seus colegas de trabalho em relação a você. O mercado está povoado de profissionais qualificados e habilitados, mas poucos são os profissionais das entregas.
 

Esse é um tema muito falado atualmente e esperamos que esta “Resenha” tenha levado-o a uma reflexão profunda sobre “O que você espera de você mesmo”. Além disso, se você é da área de SST e quer dar o primeiro passo, convidamos você a conhecer os cursos do SafetyEAD.

E se você conhece alguém que precisa ficar atualizado sobre o assunto, compartilhe esse artigo!

 

Sobre o autor: Thiago Avelino CEO da SafetyTec e Co-fundador do Portal ConsultaCA, SafetyEAD e BuscaEPI, Profissional Segurança do Trabalho com 11 anos de experiência, iniciou sua carreira profissional prestando serviços para empresas de Engenharia em projetos de construção de grande porte como em Refinarias de Petróleo, Papel e Celulose e Metalurgia. Envolvido com atividades de preservação da integridade física e a vida dos trabalhadores e sobretudo de gestão de Saúde e Seg. do Trabalho.Também atuou como Auditor Bureau Veritas e Lecionou no Senai PR.
Publicidade:
×
E-mail:
Senha:
Manter-me conectado
Entrar
Esqueci Senha | Cadastre-se
×
Enviar Lista de EPIs por E-mail
Remetente:
E-mail Remetente:
Destinatário:
E-mail Destinatário:
Mensagem:
Enviar
×
Minha Lista de EPIs Nenhum Item
×

O que é CA?

O CA - Certificado de Aprovação - é um documento emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego que tem por finalidade avaliar e manter um padrão nos equipamento de proteção.

A NR6 - que regulariza os equipamentos de proteção individual - exige que todo equipamento de proteção individual, de fabricação nacional ou importado, só poderá ser posto à venda ou utilizado com a marcação do CA.

Para se obter um CA, o fabricante ou importador, deve enviar uma amostra do equipamento para um laboratório autorizado, o laboratório faz testes com esse equipamento e emite um laudo com as características do produto. Esse laudo é enviado ao MTE para emissão do CA que garantirá o padrão dos equipamentos que devem obedecer as especificações presentes no laudo.

Como funciona o Portal ConsultaCA.com? Assista nosso vídeo!