Buscar por:

Instruções sobre Luvas para a Área da Saúde

21/05/2020 - Saúde e Higiene Ocupacional - por Volk do Brasil

   Trabalhar na área da saúde significa seguir inúmeros procedimentos e regras que visam garantir a segurança não apenas dos pacientes, mas também dos profissionais. Saber como usar corretamente e também seguir os procedimentos certos de descarte de luvas estão entre essas importantes regras que enfermeiros, médicos e até mesmo profissionais da limpeza precisam seguir para garantir um ambiente minimamente seguro.

   Um dos principais problemas a serem evitados com o descarte correto desse EPI é a contaminação. Sabemos que, em um ambiente como um hospital, por exemplo, diferentes vírus e bactérias dos mais variados níveis de periculosidade estão presentes no dia a dia. Justamente por isso que em determinados tipos de procedimentos o uso das luvas é obrigatório, mas para garantir que a prática seja eficaz, saber descartá-las também faz parte das regras a serem seguidas.

   E para você entender melhor sobre esse assunto, abaixo explicamos melhor sobre a importância das luvas no dia a dia na área da saúde e como devem ser usadas e descartadas. Confira!

Qual é a importância das luvas na área da saúde?

   Basicamente, a função das luvas é evitar contágios e deve estar sempre associada à correta higiene das mãos. Ou seja, para que o seu uso seja eficaz, o primeiro passo a ser seguido pelo profissional é sempre manter a boa higiene das mãos. Esse EPI funciona como uma barreira contra micro-organismos, protegendo os profissionais, bem como os pacientes também.

   Em um hospital ou centro de saúde, não é apenas o enfermeiro que precisa usar luvas, pelo contrário. Esse item também deve fazer parte da rotina do médico, dentista, demais profissionais da equipe de saúde, funcionários dos departamentos de limpeza e nutrição também. Essas são as principais áreas onde o uso das luvas é obrigatório, mas a regra pode se estender também para outros profissionais que possam ser expostos a riscos.

   O uso obrigatório das luvas, principalmente em determinadas situações, não é feito apenas no Brasil. A própria OMS (Organização Mundial da Saúde) determina que o EPI deve ser usado por conta da sua eficiência na redução dos riscos contágios e proliferação de micro-organismos.
 

Como as luvas são classificadas?

   No mercado há diversos tipos de luvas e essa variedade não é por acaso. O equipamento precisa ser escolhido de acordo com a função a ser realizada. Em geral, elas se diferem pelo material e indicação de uso. Em um primeiro momento, podem ser divididas em dois grupos: estéril e não estéril.

   Na categoria estéril se encontra a luva descartável e de uso cirúrgico. Já na categoria não estéril estão tanto luvas descartáveis para procedimentos não cirúrgicos quanto reutilizáveis, usadas nas demais atividades como limpeza e conservação por exemplo. Além do mais, o material da luva também se difere, e entre os mais usados podemos citar as seguintes:

   A principal característica das luvas de vinil é o seu preço mais em conta e de ser livre de látex. Já a versão de látex possui maior elasticidade. Ela também é bem confortável e indicada para trabalhos de limpeza. Quanto às luvas nitrilas, ao contrário da versão anterior, elas não são feitas a partir de matéria-prima natural, mas sim com uma borracha sintética. O ponto forte desse tipo de luva é sua resistência diante de produtos químicos e abrasivos.
 

As luvas podem ser reutilizadas?

   Em um hospital ou qualquer outro local destinado aos cuidados de saúde, sempre serão usados dois tipos de luvas:

  • Luva cirúrgica: como o próprio nome diz, é usada durante as cirurgias. Sua principal característica está relacionada à perfeita anatomia que se encaixa muito bem não apenas nos dedos, mas também nos punhos, garantindo a segurança necessária durante procedimentos cirúrgicos — que são considerados de alto risco;
  • Luva para procedimento não cirúrgico: também conhecida como luva não-estéril, esse item deve ser usado nos demais procedimentos de saúde que não envolvem cirurgia.

   Agora que você já sabe a principal diferença entre os dois tipos de luvas hospitalares, outra pergunta muito comum que deve ser esclarecida é quanto à reutilização desse EPI. De forma geral, a recomendação é que tanto a luva cirúrgica quanto a de procedimento devem ser usadas apenas uma vez. Ou seja, ao final de cada procedimento elas devem ser descartadas, evitando maiores riscos de contaminações.
 

Como colocar as luvas?

   Sabia que a colocação das luvas precisa seguir uma técnica específica que todo profissional da área da saúde precisa conhecer? Tanto o procedimento de colocação quanto o de remoção são definidos pela OMS e é importante que sejam cumpridos.

   O primeiro passo para a colocação é higienizar as mãos adequadamente e, em seguida, retirar um par de luvas de sua embalagem. Tocando somente na superfície que corresponde à área do punho, a primeira luva deve ser colocada.

   Em seguida, o mesmo deve ser feito com o outro par da luva, sempre se lembrando de tocar apenas na superfície na região do punho. Com as luvas colocadas, é importante não tocar em nada que não seja indicado.
 

Como descartar as luvas?

   Por fim, é preciso também sempre estar atento quanto ao descarte correto das luvas. Nessa etapa, também é importante que os profissionais conheçam o passo a passo da sua remoção. Para começar, é preciso segurar a luva pela parte externa na área do pulso e, sem seguida, removê-la em direção aos dedos, de modo que ela sairá do lado avesso.

   O mesmo deve ser feito com a segunda luva, mas com o cuidado de colocar os dedos já sem a primeira luva na parte interna da segunda peça, também levando-a em direção aos dedos. Feito isso, elas precisam ser descartadas de acordo com as regras do local. Em seguida, o profissional deve imediatamente higienizar as mãos.

  Aliás, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é quem regulamenta procedimentos como o descarte correto de materiais usados em áreas hospitalares. O ideal é que luvas que tiveram contato com sangue, demais fluidos corporais e substâncias tóxicas, por exemplo, sejam embaladas e descartadas em um lixo específico e devidamente identificado, sinalizando os riscos para a empresa responsável pelo recolhimento.

   Tudo o que é feito em um ambiente como o hospital deve ser muito bem regulamentado, afinal, os riscos de contaminações e infecções são muito altos. Até mesmo um simples item de segurança, como as luvas, precisa ser usado com atenção máxima, seja qual for o procedimento.
 

   As luvas são EPI’s essenciais para proteger profissionais e pacientes. Mas depois de usadas, devem ser descartadas sempre da mesma forma para evitar contaminações.
   Então confira agora o infográfico com mais informações e ilustrações sobre o assunto!

luva, medicos, ca, epis, epi, sst, saude e segurança do trabalho

Gostou deste artigo? Caso queira receber mais informações relacionada a este assunto, deixe seu contato nos campos abaixo:
Sobre o autor: Volk do Brasilhttp://volkdobrasil.com.br Presente no mercado brasileiro há mais de 20 anos, a Volk do Brasil comercializa e distribui Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) com enfoque na proteção das mãos, produtos para segurança e proteção alimentar. Contando com profissionais especializados em atender a empresas dos mais diversos setores do mercado, a Volk do Brasil tem como missão proteger e educar pessoas todos os dias.
Publicidade:
×
E-mail:
Senha:
Manter-me conectado
Entrar
Esqueci Senha | Cadastre-se
×
Enviar Lista de EPIs por E-mail
Remetente:
E-mail Remetente:
Destinatário:
E-mail Destinatário:
Mensagem:
Enviar
×
Minha Lista de EPIs Nenhum Item
×

O que é CA?

O CA - Certificado de Aprovação - é um documento emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego que tem por finalidade avaliar e manter um padrão nos equipamento de proteção.

A NR6 - que regulariza os equipamentos de proteção individual - exige que todo equipamento de proteção individual, de fabricação nacional ou importado, só poderá ser posto à venda ou utilizado com a marcação do CA.

Para se obter um CA, o fabricante ou importador, deve enviar uma amostra do equipamento para um laboratório autorizado, o laboratório faz testes com esse equipamento e emite um laudo com as características do produto. Esse laudo é enviado ao MTE para emissão do CA que garantirá o padrão dos equipamentos que devem obedecer as especificações presentes no laudo.

Como funciona o Portal ConsultaCA.com? Assista nosso vídeo!