Buscar por:

O que você precisa saber sobre arco elétrico

03/05/2021 - Educação - por JGB Equipamentos de Segurança S/A

Um conceito da física muito utilizado no cotidiano em diversas partes da indústria é o arco elétrico. Ele tem diversas aplicações em nosso dia a dia, porém apresenta alguns riscos que devemos ficar atentos. Vem conosco conhecer um pouco mais sobre o arco elétrico!

O arco elétrico, que pode ser chamado de arco voltaico ou curto circuito, ocorre quando há uma ruptura dielétrica a qual produz uma descarga elétrica, rompendo a isolação feita pelo ar e conduzindo elétrons. Ele é muito presente em nosso dia a dia pois é utilizado em diversos tipos de lâmpadas, monitores de plasma, projetores, flash de câmera fotográfica e holofotes. Na indústria é utilizado na soldagem e em fornos, também podendo ocorrer nas manutenções elétricas dessas empresas.

O forno de arco voltaico emprega uma temperatura tão alta que é capaz de fundir metais mais rapidamente que os fornos normais. Esse equipamento é muito utilizado em empresas que trabalham na recuperação de metais sucateados. Para a soldagem de metais é utilizada uma fonte de alimentação para eletrificar as hastes metálicas. Assim, quando em contato com outro metal, o eletrodo existente na ponta da haste se funde com ele, pois o calor gerado pelo arco elétrico é altíssimo e permite essa mudança momentânea de estado físico.

Estamos falando de altas temperaturas logo, este fenômeno, se mal controlado ou se ocorrido de forma inesperada (como nas instalações elétricas, por exemplo) pode ocasionar consequências graves como deterioração e projeção de material fundido em alta velocidade, podendo penetrar na pele. Somando-se a isso, conforme o nível de energia incidente, o arco elétrico pode provocar queimaduras graves e até fatais nos profissionais expostos.

Por esses motivos as vestimentas especiais para arco elétrico possuem ATPV, esta sigla significa “Arc Thermal Performance” que é valor em calorias por centímetro quadrado da proteção conferida pelo tecido aos efeitos de um arco elétrico. É uma estimativa da barreira que o tecido em que o EPI é confeccionado tem contra esses riscos térmicos. Assim, esse número está diretamente relacionado às características do tecido e sua tecnologia de fabricação. Segundo o Ministério do Trabalho, a Secretaria de Inspeção do Trabalho e o Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho, o número mínimo de ATPV é 8,1.

Nesse contexto, visando o melhor para esses profissionais a JGB traz para o mercado as vestimentas em Texíon M, ideais para proteção contra arco elétrico. Com ATPV de 13,5 cal/cm², essas novas vestimentas tem proteção 3 em 1: arco elétrico, respingos de metal e fogo repentino, trazendo ainda mais proteção para o usuário. Além disso, a composição do tecido é a base de fibras ignífugas, ou seja, não perdem suas características de proteção com a higienização ou uso. Proporciona excelente resistência mecânica e durabilidade, resultando em um ótimo custo benefício. JGB, inovação para proteção ao risco!

Clique aqui e conheça o novo macacão da JGB para sua proteção!

Quer receber mais informações relacionadas a Saúde e Segurança do Trabalho?
Preencha o formulário para se cadastrar na nossa newsletter!
Sobre o autor: JGB Equipamentos de Segurança S/Ahttps://www.jgb.com.br/ Fabricante de Equipamentos de Proteção Individual há mais de três décadas, a JGB é reconhecida pela confiança na proteção em situações de risco. Essa confiança que conquistamos foi possível pelo reconhecimento da qualidade do que fornecemos, buscando sempre a excelência no seu fornecimento através do rigoroso controle de qualidade, desde a aquisição da matéria prima, o processo de produção, até o cliente.
Publicidade:
×
E-mail:
Senha:
Manter-me conectado
Entrar
Esqueci Senha | Cadastre-se
BuscaEPI Control
×
Enviar Lista de EPIs por E-mail
Remetente:
E-mail Remetente:
Destinatário:
E-mail Destinatário:
Mensagem:
Enviar
×
Minha Lista de EPIs Nenhum Item
×

O que é CA?

O CA - Certificado de Aprovação - é um documento emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego que tem por finalidade avaliar e manter um padrão nos equipamento de proteção.

A NR6 - que regulariza os equipamentos de proteção individual - exige que todo equipamento de proteção individual, de fabricação nacional ou importado, só poderá ser posto à venda ou utilizado com a marcação do CA.

Para se obter um CA, o fabricante ou importador, deve enviar uma amostra do equipamento para um laboratório autorizado, o laboratório faz testes com esse equipamento e emite um laudo com as características do produto. Esse laudo é enviado ao MTE para emissão do CA que garantirá o padrão dos equipamentos que devem obedecer as especificações presentes no laudo.

Como funciona o Portal ConsultaCA.com? Assista nosso vídeo!